S&P: Taxa de default de companhias em grau especulativo nos EUA neste ano deve ser a maior desde 2019

A S&P Global Ratings estima que a taxa de default de empresas com grau especulativo nos Estados Unidos chegue ao fim de 2021 em 7%, acima dos 6,6% registrado em 2020. Segundo a agência de classificação de risco, seria a maior taxa desde 2009.

No ano passado, 146 emissores corporativos nos EUA entraram em default, no maior número desde 2009, quando 195 companhias não conseguiram pagar as dívidas. Para 2021, o cenário base da S&P indica a possibilidade de que a taxa alcance 7% dos emissores abaixo do grau de investimento. “Para alcançar essa taxa, 133 companhias em grau especulativo teriam de entrar em default”, apontou a agência.

De acordo com a S&P, um grande componente do crescimento econômico neste ano será uma melhora comparada com uma base de atividade já muito suprimida em 2020. “As companhias na distribuição de grau especulativo com notas ‘BB+’ ou abaixo permanecem mais fracas do que no começo do ano passado”, ponderou a agência.

Para a S&P, os fatores levam a um cenário base de taxa de default em 2021 um pouco acima do período anterior e “potencialmente com uma taxa de default mais elevada no início do ano”.

O estresse no crédito permanece elevado para muitos setores com alta proporção de ratings entre “CCC” e “C”, como lazer, varejo não essencial e produtos de consumo.

A S&P afirmou ainda que, “no nosso cenário pessimista, a taxa de default pode subir para 9,5%”. O...

Para continuar a ler

PEÇA SUA AVALIAÇÃO

VLEX uses login cookies to provide you with a better browsing experience. If you click on 'Accept' or continue browsing this site we consider that you accept our cookie policy. ACCEPT