Como evitar ambiguidades com termos de significados diversos

AutorJosé Fiker
Ocupação do AutorDoutor em Semiótica e Linguística Geral (com enfâse em Laudos Periciais) pela USP
Páginas39-40

Page 39

Há palavras que têm vários sentidos. É preciso lembrar que o juiz utiliza dicionários, em que os sentidos das palavras vão do mais geral ao mais específico. O perito usa glossários em que o significado é único e corresponde a sua significação no contexto técnico de sua especialidade. É o caso da palavra “broca”, por exemplo. Para o juiz pode ser tudo: instrumento de perfuração, bichinho que dá nos livros etc. A última coisa em que o juiz irá pensar é que “broca” significa também uma espécie de fundação.

É preciso também, a bem da compreensão do laudo pelo juiz, ter cuidado com palavras de significados diferentes representadas por um só significante. No caso de “broca”, há algo em comum: o buraco. Porém, no caso de homônimos gráficos (homógrafos) não há nada em comum, por exemplo:

• Assentar: a) O réu assentou na ponta da cadeira. b) A jurisprudência assentou a seguinte orientação.

• Decadência: a) Escreveu-se um livro sobre a decadência de Roma; b) No caso, não houve decadência da queixa.

Page 40

• Diligência: a) O perito iniciou as diligências necessárias;
b) É pitoresco ver o oeste americano na época de suas...

Para continuar a ler

PEÇA SUA AVALIAÇÃO

VLEX uses login cookies to provide you with a better browsing experience. If you click on 'Accept' or continue browsing this site we consider that you accept our cookie policy. ACCEPT