Prólogo. Uma breve digressão inicial

AutorLucas Costa de Oliveira
PáginasXI-XIII
Prólogo
UMA BREVE DIGRESSÃO INICIAL
Figura 1 – Shylock: “Is that the Law?”5
Uma “libra justa de sua carne alva, a ser cortada e tirada de uma parte de seu corpo
que na hora da escolha me aprouver.6 Essa foi a garantia imposta pelo opulento judeu
Shylock para emprestar a pecúnia requisitada pelo mercador Antônio. Por infortúnios
do destino, o mercador de Veneza acaba por perder as cargas que se encontravam em
alto-mar, tornando-se incapaz de solver o empréstimo realizado. Sendo assim, seu
próprio corpo se torna responsável pelo cumprimento do avençado. Sem demonstrar
piedade, Shylock exige o cumprimento da garantia, estando disposto a levar o acordo
às derradeiras consequências. Resignado com seu fado, Antônio acaba sendo salvo por
5. DUDLEY, Robert. Shylock: “Is that the Law?” – llustration of Act IV, scene 1 of “e Merchant of Venice” (1597).
London: e Library Shakespeare, 1856.
6. SHAKESPEARE, William. O mercador de Veneza. In: SHAKESPEARE, William. Comédias e romances: teatro
completo. Tradução de Barbara Heliodora. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 2009, p. 564. v. 2.
EBOOK GAMETAS COMO MERCADORIAS.indb 11EBOOK GAMETAS COMO MERCADORIAS.indb 11 30/05/2023 11:30:5030/05/2023 11:30:50

Para continuar a ler

PEÇA SUA AVALIAÇÃO

VLEX uses login cookies to provide you with a better browsing experience. If you click on 'Accept' or continue browsing this site we consider that you accept our cookie policy. ACCEPT