VIOLÊNCIA DE GÊNERO NUMA UNIVERSIDADE PÚBLICA BRASILEIRA: SAINDO DA INVISIBILIDADE

AutorAida Victoria Garcia Montrone, Marcia Regina Cangiani Fabbro, Teresa Cristina Martins Dias, Lívia Maria Fusari, Diogo Barboza Moreira
Páginas6-23
6GÊNERO | Niterói | v. 21 | n. 1 | p. 6-23 | 2. sem 2020
6
VIOLÊNCIA DE GÊNERO NUMA UNIVERSIDADE PÚBLICA
BRASILEIRA: SAINDO DA INVISIBILIDADE1
Aida Victoria Garcia Montrone2
Marcia Regina Cangiani Fabbro3
Teresa Cristina Martins Dias4
Lívia Maria Fusari5
Diogo Barboza Moreira6
Resumo: Pesquisa descritiva-transversal/inferencial em universidade pública
do interior de São Paulo. Objetivo: mapear violência de gênero; verificar a
probabilidade de um/a estudante a sofrer. Método: questionário on-line enviado
para estudantes de cursos presencias, entre maio-outubro/2018. Análise utilizou
frequência, correspondência múltipla e modelo de regressão logística. Resultados:
84% tinham menos de 26 anos, 70% se declararam brancos; 68% heterossexuais
e 59% feminino cis. Há desconhecimento dos tipos de violência de gênero
reconhecidos e poucos/as estudantes a reportaram por não saber como fazê-lo.
Estudantes mulheres, negras e homossexuais têm probabilidade seis vezes maior
de sofrer violência, em comparação a homens, brancos e heterossexuais.
Palavras-chave: Violência de gênero; Universidades; Estudantes.
Abstract: This is a cross-sectional, descriptive and inferential survey conducted
in a public university of São Paulo state. Objective: to map gender violence;
to verify the probability of students to suer violence. Data collection: May-
1 Agradecimentos à Pró-Reitoria de Graduação, à Secretaria de Educação a Distância, à Secretaria Geral de
Ações Afirmativas, Diversidade e Equidade, à Ouvidora e à Pró-Reitoria de Extensão da Universidade Federal
de São Carlos, pelo apoio financeiro. Aos/Às estudantes bolsistas e voluntários/as que participaram das ativida-
des do projeto.
2 Doutor em Educação, Universidade Federal de São Carlos, Brasil. E-mail: montroneufscar@gmail.com.
Orcid: 0000-0002-1954-4679
3 Doutora em Educação, Universidade Federal de São Carlos, Brasil. E-mail: mfabbbro@gmail.com.
Orcid: 0000-0003-2601-8818
4 Doutora em Engenharia de Produção, Universidade Federal de São Carlos, Brasil. E-mail: dtmd@ufscar.br.
Orcid: 0000-0001-6065-7627
5 Doutora em Entomologia, Universidade Federal de São Carlos, Brasil. E-mail: liviafusari@ufscar.br.
Orcid: 0000-0002-1107-2785
6 Mestrando em Estatística, Universidade Federal de São Carlos, Brasil. E-mail: diogobarbozamoreira@
gmail.com. Orcid: 0000-0002-4871-5502
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-
NãoComercial 4.0 Internacional.
7
GÊNERO | Niterói | v. 21 | n. 1 | p. 6-23 | 2. sem 2020
October/2018, questionnaire sent to undergraduate students. Analysis:
frequency tables, multiple correspondence analysis and logistic regression
models. The results revealed that 84% of students have less than 26 years
old, 70% self-declares as white, 68% as heterosexual and 59% as cis-female.
Most are unfamiliar with gender violence. Few students reported such
matters ocially as they didn’t know the correct procedures. The probability
of female, black homosexual students to suer gender violence is six times
higher than male, white and heterosexual students.
Keywords: Gender Violence; Universities; Students.
Introdução
A violência de gênero é um problema de saúde pública mundial de
proporções epidêmicas, uma vez que 35% das mulheres no mundo sofrem
algum tipo de violência ao longo da vida, quer seja do parceiro ou de outra
pessoa (OMS,2013).
O conceito de gênero foi resultante dos movimentos feministas para
evidenciar as relações de poder desiguais e as iniquidades que existem entre
homens e mulheres, baseadas no sexo biológico. Scott (1995, p.86) define
a categoria gênero como tendo duas partes analíticas inter-relacionadas:
“(1) o gênero é um elemento constitutivo de relações sociais baseadas nas
diferenças percebidas entre os sexos; (2) O gênero é uma forma primária
de dar significado às relações de poder”.
Na Convenção Interamericana para Prevenir, Punir e Erradicar a
Violência Contra a Mulher, realizada em Belém do Pará em 1994, defi-
niu-se a violência contra a mulher como qualquer ação ou conduta baseada
no gênero que cause morte, dano ou sofrimento físico, sexual ou psico-
lógico à mulher, no âmbito público ou privado (ORGANIZAÇÃO DOS
ESTADOS AMERICANOS, 1994).
Desta forma, considera-se como violência de gênero a violência física,
entendida como qualquer ato que atinja a integridade ou saúde corporal; a vio-
lência psicológica, entendida como qualquer ato que cause dano emocional e
na autoestima; violência sexual, entendida como qualquer ato que constranja
a presenciar, manter ou participar de relação sexual não desejada, mediante
intimidação, ameaça ou uso da força; violência patrimonial, entendida como
qualquer ato que configure retenção, subtração, destruição de bens, objetos,

Para continuar a ler

PEÇA SUA AVALIAÇÃO

VLEX uses login cookies to provide you with a better browsing experience. If you click on 'Accept' or continue browsing this site we consider that you accept our cookie policy. ACCEPT