Política & Sociedade. Revista de Sociologia Política

Editora:
Universidade Federal de Santa Catarina
Data de publicação:
2011-03-10
ISBN:
2175-7984

Descrição:

Destinada à divulgação de artigos, resenhas, traduções e ensaios bibliográficos inéditos sobre temas e problemas de Sociologia Política e de disciplinas afins, a revista orienta-se pelos critérios de qualidade acadêmica e da relevância social do conteúdo de suas publicações.

Documentos mais recentes

  • Tradição e interpretação: taxonomias do republicanismo

    O objetivo deste artigo é apresentar alguns dos principais modelos de interpretação histórica da tradição republicana. Partindo de um conceito heurístico de tradição que busca compreender como as ideias se transmitem e se modificam de geração para geração, focamos nossa análise em três critérios distintos utilizados para interpretar o republicanismo: 1) o critério genealógico, centrado principalmente nas origens da tradição e nos valores decorrentes desse caráter fundacional; 2) o nacional, que busca enfatizar os dilemas e os contextos distintos do republicanismo em cada nação; 3) e o socioconflitual, cujo foco se concentra na dimensão sociológica da tradição, dividindo o republicanismo em dois eixos principais, o aristocrático e o democrático

  • Definindo o republicanismo: abordagens, dificuldades e síntese

    O artigo apresenta uma síntese das diferentes e recentes definições do republicanismo. Para isso, empreende-se uma avaliação crítica dos diversos modos como essas definições são empregadas e, assim, debatem-se os anteparos do republicanismo em relação a tradições que se lhe opõe, a embocaduras tautológicas e a extrapolações indevidas. Num segundo momento, argumenta-se que a suposta exceção francesa deve ser lida de modo crítico e que seus pontos de contato com o universo anglo-saxão não são incomuns. Na sequência, evidencia-se a estratégia de definição por um ângulo histórico e são debatidas as implicações. Por fim, o artigo argumenta que as definições excessivamente normativas e que dialogam explicitamente com a teoria política contemporânea incorrem em contradições históricas. Propõe-se, então, uma síntese que congrega conceito e contexto

  • Em termos romanos: Res publica, história e constituição na historiografia do pensamento político e na historiografia institucional contemporâneas

    Desde que o neorrepublicanismo incluiu pensadores romanos e seus leitores modernos entre as fontes relevantes para o debate da Teoria Política, nota-se um interesse renovado pelas fontes romanas como elementos para enriquecer o debate contemporâneo da teoria política e também reavaliar a influência romana entre os modernos. Se de início seus autores enfatizavam a contribuição romana às tradições políticas modernas, defende-se que, em anos recentes, é possível verificar uma vasta produção voltada ao pensamento político dos romanos propriamente ditos, o que chamamos de “roman turn”. Este artigo tem por objetivo contextualizar e delinear as características metodológicas dessa “virada romana”. Para tal, o texto está dividido em duas seções: a primeira analisa a historiografia do pensamento político propriamente dita, após o impulso do contextualismo da Escola de Cambridge; a segunda seção se dedica à história do direito e, mais especificamente, aos rumos recentes da historiografia institucional ou constitucional

  • Uma Defesa Ciceroniana de Participação Democrática

    Opposing the usual elitist presentation of Cicero, I identify three arguments favoring democratic participation in De re publica and De legibus. The first sees democratic participation as a demand of the common people, which results from their untamable desire for freedom and must be fulfilled to avoid civil unrest. The second sees it as an instrument to lessen the likelihood of elites’ corruption. The third incorporates the previous two under an account of state legitimacy, arguing that democratic participation is just because without it, the civic community under a state’s rule cannot be a partnership and hence the state cannot be a legitimate one as a common property of the people. I argue that this account of state legitimacy differs from the one in Pettit’s republicanism and may help clarify the normative commitment to the public nature of the state that underlies the current “realist” and “instrumental” defenses of democracy

  • Alemanha, liberdade e comércio em Maquiavel

    O presente artigo tem por objetivo argumentar que Nicolau Maquiavel admite a possibilidade de o comércio coexistir com a liberdade de uma república. Essa possibilidade seria vislumbrada a partir de seus comentários à Alemanha, elogiada pela preservação da liberdade e cujos cidadãos teriam no comércio sua principal fonte de renda. Para cumprir seu objetivo, o artigo se divide em duas partes: na primeira parte, pretende-se indicar que, para Maquiavel, o fator econômico ocasionador de corrupção não seria exatamente o comércio, mas um excessivo acúmulo de riquezas passível de ocorrer em qualquer atividade econômica; na segunda, busca-se compreender a visão de Maquiavel sobre a Alemanha para, em seguida, investigar a participação dos cidadãos no comércio. A conclusão do artigo é que, para Maquiavel, a coexistência do comércio com a liberdade seria uma possibilidade cuja efetivação dependeria das ordenações da república

  • Anarquismo e não-dominação

    Neste artigo recuperamos temas republicanos, como não dominação, tirania e escravidão, no anarquismo clássico, para expor os limites da revitalização republicana neorromana contemporânea. Para anarquistas, o Estado-nação moderno e a propriedade privada são antitéticos à liberdade como não dominação, atuando como limites estruturais à liberdade em vez de como meios para sua realização. Reanalisamos os fundamentos dessa crítica, propondo dois argumentos. Primeiro, que um comprometimento, seja com o Estado ou com a propriedade privada, representa um comprometimento moral e ético positivo sem fundamento que enviesa a teoria negativa de liberdade que republicanos contemporâneos buscam desenvolver. Segundo, que o comprometimento moral com o Estado faz com que o republicanismo neorromano seja essencialmente conservador. Teorias anarquistas da liberdade como não dominação vão muito além do que a revitalização republicana parece permitir, abrindo novas possibilidades para inovações institucionais e constitucionais, permanecendo ao mesmo tempo consistentes com o valor normativo nuclear do republicanismo, a não dominação

  • Ecce Romani: Ensaio bibliográfico quanto a obras recentes sobre o pensamento político romano

    Nos últimos anos, teóricos políticos, classicistas e filósofos publicaram monografias, artigos, editaram volumes e lançaram traduções do pensamento político romano, parte do fenômeno identificado recentemente como uma “virada romana”. Por meio da análise de três estudos recentes (HAMMER, 2014; CONNOLLY, 2015; BLITS, 2014), este artigo busca compreender o que os livros em análise oferecem aos teóricos políticos e que direções os estudos do pensamento romano podem tomar no futuro

  • O que promove a participação política? Um estudo de caso com as prostitutas da rua Guaicurus

    As prostitutas estão entre as mulheres mais vulneráveis da sociedade e, no Brasil, são majoritariamente mulheres negras e com baixa escolaridade. Por causa desse perfil, os estudos sobre o comportamento político previam que esse grupo social seria menos propenso à participação política. No entanto, as organizações de prostitutas têm crescido e se expandido por todo o Brasil. O que tem promovido o engajamento dessas mulheres? O artigo trata dessa questão através de um estudo de caso sobre a participação das mulheres da Rua Guaicurus, localizada em Belo Horizonte e um dos maiores complexos de prostituição do Brasil, com especial atenção à Associação de Prostitutas de Minas Gerais (APROSMIG). Argumento que a participação das prostitutas é explicada pela interação entre quatro fatores: identidade coletiva, redes, retribuições e desenhos de instituições participativas. Também argumento que esses fatores integram três fases da participação política: iniciação, manutenção e ampliação

  • Trabalho e gênero nas indústrias automotivas do Sul Fluminense

    O presente trabalho tem como objetivo identificar as desigualdades de gênero nas fábricas automotivas do Sul Fluminense – Rio de Janeiro, através da análise exploratória dos dados da Relação Anual das Informações Sociais (RAIS), do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE). Desde 1996, com a chegada da Volkswagen ao município de Resende, o governo do estado passou a implementar medidas visando à atração de outras indústrias, em especial montadoras de veículos. Ao longo dos anos seguintes, os municípios localizados no Sul Fluminense se converteram em um novo polo automotivo, ocupado por uma diversidade de empresas que dinamizaram a economia local e geraram um grande volume de empregos. Com dados compreendidos entre os anos de 2007 e 2017, o trabalho buscou verificar de que maneira esse desenvolvimento se deu no tocante às disparidades retratadas na literatura sobre gênero e trabalho na indústria brasileira

  • A hipótese Podemos: a emergência de uma nova alternativa política na Espanha pós-crise

    O surgimento da organização política Podemos teve um enorme impacto político na Espanha e na Europa. Em pouco mais de quatro anos de existência, Podemos se converteu em uma das principais forças políticas do país. Com a discussão sobre as razões desse surpreendente nascimento, começou também um debate sobre sua identidade política: diferentes autores têm caracterizado essa organização como uma nova versão da social-democracia, uma nova esquerda radical ou uma versão do populismo. O objetivo do presente artigo é discutir a questão da identidade política de Podemos, recuperando esse debate e analisando os elementos conceituais presentes em seus documentos e na análise de seus dirigentes. Como parte deste objetivo, busca-se discutir a identidade política de Podemos no marco do debate sobre o fenômeno populista

Documentos em destaque

VLEX uses login cookies to provide you with a better browsing experience. If you click on 'Accept' or continue browsing this site we consider that you accept our cookie policy. ACCEPT